Pular para o conteúdo

“Existem Ainda Diversas Barreiras Para o Desenvolvimento Do Comércio Eletrônico’

    "Existem Ainda Diversas Barreiras Para o Desenvolvimento Do Comércio Eletrônico' 1

    MADRID.- O PayPal é um popular sistema de pagamento ‘online’ que nasceu em 1998, com uma intenção de facilitar o comércio eletrônico por intervenção de uma ferramenta de pagamento que fora a vez claro e segura. Um comércio eletrônico que, em Portugal, cresce com um passo firme. Comprada pelo eBay em 2002PayPal opera em 190 países e 17 moedas, moveu-se o último trimestre do ano passado 47.000 milhões de dólares em todo o mundo, e no Brasil conta com mais de 1,7 milhão de usuários.

    A intenção da empresa é, segundo teu vice-presidente e diretor pra Europa, Brent Bellm, ser “uma opção em qualquer porção onde as pessoas a adquirir”. Pergunta: o Que é o Paypal? Você poderia definir esse serviço em poucas palavras? Resposta: o PayPal é um sistema de contas que permite que cada pessoa, em 190 países pagar a cada um, seja a partir de cartão, conta bancária ou algumas maneiras de pagamento. Da mesma forma, e por outro lado, assim como permite que qualquer um aceitar este pagamento. P: diz-Se que o Pay Pal é um meio ‘seguro’ para fazer pagamentos pela Rede.

    R: Sim. Há algumas razões, porém a principal é que simplesmente o quanto você paga para uma pessoa por intervenção de PayPal, que recebe o dinheiro faz isso sem nenhum tipo de informação do pagador. É contar, não recebe o seu número de cartão de crédito, ou seus fatos de conta bancária, nem sequer nada, em razão de o que de fato faz é pagar com PayPal e o PayPal paga ao destinatário. É Por isso que é tão seguro, já que os detalhes bancários não serão compartilhados.

    • 1 História 1.1 O asilo político
    • “Hemuhemu não Waltz(Valsa Hemuhemu)” por HEMUHEMU (episódio 500, 505)
    • Ouça a Rádio MARCA Emissão em directo
    • Custos indiretos
    • oito Trapos Finos: Moda para Magos
    • Marsha J
    • “Koushichai Rarenai” por Junich&JJr (eps. 290-369)
    • 3, As lutas coloniais, no decorrer do século XVIII

    P: Qual é a sua visão do comércio eletrônico hoje? De que forma tá a situação, tanto global como em Portugal? R: não há dúvida que cada nação está em uma circunstância distinto no que diz respeito ao desenvolvimento deste comércio. Às vezes o fenômeno começa em mercados menores ou médios com uma vasto demanda através da Rede, e às vezes são as grandes corporações que procuram uma nova relação com os seus consumidores. Acho que a Espanha é uma mistura de ambas as circunstâncias, com negócios pequenos que arrancam ‘online’, assim como este alguns dos maiores exemplos. Eu posso apresentar do modelo do eBay e do PayPal, em que Portugal é ainda um dos países com superior crescimento de negócios pela Europa.

    P: Entretanto parece que em Portugal o desenvolvimento do comércio electrónico entre as pequenas e médias organizações está ainda muito atrasado. Quais são as barreiras mais consideráveis, em sua posição? R: Bem, nós trabalhamos com algumas organizações pequenas e médias em Portugal, todavia vemos que o superior desenvolvimento do negócio nos fornecem para as grandes corporações. Concretamente, há um monte de barreiras. Uma delas é o tamanho, visto que as organizações pequenas é caro aceder a definidos produtos bancários. Tais como, carregar uma boa fatia para pagamentos a começar por cartões de crédito.

    Nós não fazemos isso, mas que carregamos uma quantidade razoável para pagamentos com cartões. Desta forma, tentamos eliminar uma das barreiras. Outro problema que se descobrem as organizações é a própria adoção da Internet por cota dos cidadãos, e quais deles estão dispostos a comprar ‘online’.

    Outra barreira é o acontecimento de que, dependendo do tamanho e volume de negócios, você tem de sistemas de cobrança mais sofisticados, e quanto superior seja o mais complexo é tudo. P: Por que o PayPal ficou entidade bancária o ano anterior na Europa? R: Nós neste momento éramos uma organização que administrava dinheiro-mail antes de converter-nos em um banco, e estávamos sujeitos a normas que deixavam muito claro o que é o que podia ou não fazer.

    Marcações: